Serão os agentes da Polícia Civil de Porto Alegre os privilegiados em poder usar uma Mercedes-Benz CLS-500 blindada em suas operações. Na situação financeira do Brasil como um todo e principalmente dos estados do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, é claro que essa “máquina” não foi comprada com dinheiro dos cofres públicos, que, diga-se de passagem, de onde não está sobrando nem para o pagamento do salários do funcionalismo público.

Na verdade a Mercedes foi apreendida de um traficante de drogas e, por causa de uma autorização da justiça, poderá ser usada pela corporação. Com motor V8 de 388cv e sistema de câmbio sequencial, reconhecido como um dos mais potentes do mercado, o coupé de quatro portas e design esportivo, possui ainda ar-condicionado digital de quatro zonas (tipo de sistema controlado individualmente pelos ocupantes), bancos com sistema de massagem e controle de temperatura, câmera de visão noturna e teto solar com controle da intensidade de calor.

Sem contar a blindagem que custa entre R$55 e R$70 mil, de acordo com a tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), o valor do carro é de R$198 mil.

A Polícia Civil não revelou os detalhes sobre como ocorreu a apreensão do veículo, bem como sobre como o mesmo será usado. O uso pela Polícia de veículos apreendidos não é uma novidade no estado, uma vez que só em 2017, 56 foram disponibilizados aos agentes. A Mercedes já foi adesivada com o novo logotipo da Polícia Civil que, de acordo com o delegado da Emerson Wendt, não pode pode ser vendida, uma vez que o processo no qual o veículo é citado, ainda está em tramitação.

Por fim, segue a ficha técnica da “máquina”:

Motor: V8 de 388 cv
Aceleração 0 – 100 km/h em 5,4 segundos
Velocidade máxima 250 km/h
Custo: R$ 198.179,00, mais o custo da blindagem
Sistema de acesso e partida sem chaves (Keyless-Go)
Aquecimento e ventilação dos assentos

Fonte: https://gauchazh.clicrbs.com.br

Inagem