O aumento da criminalidade principalmente em países como o Brasil, o México e Estados Unidos, provoca crescimento do número de veículos blindados na América Latina. No México, por exemplo, os crimes relacionados ao tráfico de drogas bateram recorde em 2017 de acordo com estatísticas do próprio governo. Como consequência, a demanda pelo serviço de blindagem de veículos cresceu dez por cento, segundo a MAAA (Mexican Automotive Armor Associaton).

3.284 foi o número de veículos blindados no México em 2017, o que podemos dizer ser um número baixo se comparado aos 15.145 blindados no Brasil, país que possui uma taxa de 29.53 homicídios por 100 mil habitantes. O segmento de blindagens prevê um crescimento de 25% para 2018.

Também de olho nesse crescimento estão algumas montadoras que passaram a oferecer veículos blindados de fábrica a fim de evitar que os clientes busquem o serviço “do lado de fora”. De acordo com a agência de notícias Reuters, a Audi iniciou a produção da versão blindada do seu modelo Q5 no estado de Puebla no México desde a metade de 2017. Além da venda local, os Q5 são exportados para o Brasil e a Argentina. BMW, Mercedes-Benz e Jeep são exemplo de fabricantes que fornecem blindados “de fábrica” já por alguns anos.

Alguns modelos oferecem mais do que “apenas” a blindagem. A Mercedes oferece veículos com suprimento extra de oxigênio, que serve para proteger os ocupantes em situações de presença de fumaça ou qualquer tipo de gás irritante, além de um sistema automático de supressão de incêndios.

Em geral, países da América do Sul e Central possuem as maiores taxas de homicídios no cenário Global. No México, a taxa é de 19,26 homicídios a cada 100 mil habitantes, enquanto Venezuela, Honduras e El Salvador são os mais perigosos, como taxas acima dos 50 homicídios para cada 100 mill habitantes.

Embora nos Estados Unidos a taxa seja de 5.35 homicídios a cada 100.000 habitantes, de acordo com o FBI (Federal Bureau of Investigation), a criminalidade vem crescendo nos últimos dois anos, após um long período de declínio estável. Mesmo que no Canadá a taxa seja de 1.68 homicídios, espera-se que a América do Norte e a Europa Ocidental juntos, detenham a metade do mercado de carros blindados nos próximos anos.